Teatro de Senhoritas


Seja bem vindo ao blog do Teatro de Senhoritas! À direita você encontra nosso perfil e contatos, lista de links e seguidores, arquivos e muitas fotos. Abaixo estão nossas páginas com informações detalhadas sobre cada projeto, cada espetáculo, cada senhorita e cada oficina cultural. No início você acompanha nossas postagens com o dia-a-dia das senhoritas e dicas culturais como apresentações e cursos. Mas atenção, as senhoritas não se responsabilizam por mudanças nos horários ou locais divulgados. Confira sempre a programação nos sites ou blogs específicos indicados. Fique à vontade para comentar e obrigada pela sua visita.

Oficinas



Esta é a vertente pedagógica do Teatro de Senhoritas. Aqui estão as especialidades de cada senhorita. São oficinas e cursos voltados às diferentes áreas do teatro como contação de histórias, preparação corporal, confecção e criação de figurinos, entre outros. Mais informações pelo email: teatrodesenhoritas@yahoo.com.br ou pelos telefones: (11) 3628-9814 / 8524-7212

Processos de Criação: BMC, Memória e Narrativa
Ministrante: Teatro de Senhoritas

O Teatro de Senhoritas desenvolve desde 2006 pesquisas sobre a linguagem teatral, utilizando três pilares: a memória, técnicas narrativas e o Body Mind Centering (BMC).
As resultantes dessas pesquisas são os espetáculos teatrais: Entre Divas e Senhoritas que trata sobre a história do teatro paulistano a partir da década de 1950, este trabalho foi construído a partir de biografias, entrevistas e relatos de profissionais da época, estudiosos e curiosos; e Ana-me (que realizou ensaios abertos no Teatro da USP, no mês de março), que nos apresenta o universo de Ana, uma mulher atemporal, constantemente assediada por padrões e estereótipos da vida moderna; este espetáculo é o resultado prático da pesquisa “A extração e codificação de matrizes corporais através da prática do Body Mind Centering®.”, de Débora Zamarioli (Programa de Pós- Graduação em Artes Cênicas – USP, orientação do Prof. Dr. Armando Sérgio da Silva).
Assim, nesta oficina, busca-se recriar esses processos de forma simplificada, proporcionando aos participantes um primeiro contato com a técnica do BMC®, com textos históricos e biográficos (não somente do teatro paulistano, mas do teatro brasileiro) para que eles criem, a partir de jogos teatrais, personagens que possam improvisar e se apropriar dessa “memória”.
OBJETIVOS
Apresentar parte da história do teatro paulista a partir da década de 1950 e sua importância dentro do panorama teatral atual, incentivando possíveis pesquisas posteriores sobre o assunto; Apresentar parte da história do teatro do Estado/Cidade onde a oficina será ministrada, incentivando possíveis pesquisas posteriores sobre o assunto; Propiciar a experiência cênica de se apropriar de uma história alheia, torná-la própria, descobrindo algumas possibilidades de contá-la, através de jogos e técnicas teatrais; Provocar nos participantes a descoberta de recursos pessoais e recursos externos a ele, a serem utilizados na improvisação de cenas, através da técnica do BMC®, visando identificar e diferenciar qualidades de movimentos provenientes dos sistemas corporais; mapear alguns caminhos ou canais de emoção; relacionar estados corporais à criação de personas, figuras e cenas; aumentar a escuta interna do corpo; Provocar discussão sobre a memória na contemporaneidade.

Criação de Figurinos
Ministrante: Sandra Pestana

A indumentária acompanha o fazer teatral desde seus primórdios, utilizada não somente como um recurso para esconder a nudez, está intimamente ligada ao rápido entendimento, por parte do público, das personagens apresentadas no espetáculo.
Para elaboração desta oficina, partimos do pré-suposto que os alunos não têm experiências com modelagem (corte e costura) ou mesmo com o pensamento criativo para construção de um figurino, primaremos por despertar este pensamento, bem como introduzi-los na história e nos conceitos da indumentária teatral.
OBJETIVOS
Introdução do pensamento e do processo criativo de figurinos, tendo como ponto de partida a história da indumentária e um texto teatral a ser escolhido pelo grupo participante.
Instrumentalizar os participantes para que tenham autonomia na criação de figurinos. Entende-se por instrumentalização tanto noções básicas de desenho, quanto formação conceitual dos modelos propostos.


O Figurino como Suporte para o Ator
Ministrante: Sandra Pestana

Esta oficina não prima pela criação de figurinos teatrais, mas pela busca para ampliar as possibilidades de criação do ator, tendo como principal estímulo o figurino. Para tanto, além das atividades práticas que serão desenvolvidas e que aqui são chamadas de “experimentos” necessitaremos também introduzir os participantes na história e nos conceitos da indumentária teatral.
OBJETIVOS
Ampliar a relação intuitiva já estabelecida entre o ator e o figurino, visando oferecer novas ferramentas para criação atoral, através de experimentos práticos respaldados por conceitos teóricos e por um texto teatral.

Narração de Histórias
Ministrante: Isis Madi

O momento em que se conta uma história é transformador tanto para o contador quanto para o ouvinte. “Ambos (o contador e o ouvinte) transitam, cada um pela sua história, dentro do conto. Não se trata de negar ou fugir da dura realidade, do medo, da impotência. Experimentam a si mesmos em outras possibilidades de existir, além do medo.”
Nesta oficina os participantes receberão, através de alguns jogos teatrais e técnicas inerentes à narração, ferramentas para contar histórias, possibilitando uma compressão mais profunda das mesmas em relação ao conteúdo e a forma da narrativa, além de refletir sobre elas, interpretando-as e relendo-as.
OBJETIVOS
Apresentar a arte de contar histórias, sua importância e suas possibilidades para atores e não atores, educadores, educandos e interessados em geral; Propiciar a experiência de aprofundar o trabalhar com uma história, descobrindo algumas possibilidades de contá-la, através de ferramentas próprias dessa arte vinculadas com jogos e técnicas teatrais;
Provocar nos participantes a descoberta de recursos pessoais e recursos externos a ele, a serem utilizados na arte de contar histórias.

Do Corpo à Cena
Ministrante: Débora Zamarioli

A oficina “do corpo à cena” busca a união entre a pesquisa sobre a prática do Body Mind Centering® e a cena teatral. Através da consciência do movimento, de seu percurso corporal e estado mental, tentaremos criar ações e matrizes que permitam uma construção cênica. Para isso, trabalharemos com a percepção de alguns sistemas corporais em relação à textos dramáticos.
O Body Mind Centering® é uma prática desenvolvida por Bonnie Bainbridge Cohen que visa, entre outros, entender o processo do pensamento, percebendo, conceitualmente e empiricamente, as relações entre a parte e o todo. Busca-se a organização, a articulação e a integração dos vários sistemas existentes no organismo, descobrindo a contribuição dos mesmos para cada qualidade de movimento do indivíduo e sua expressão sobre o pensamento. Utiliza-se conhecimentos da ciência ocidental e da filosofia oriental, no que se refere principalmente, aos princípios de complementaridade e integração, (re)significando os próprios termos científicos. Deste modo, estuda-se a anatomia e fisiologia de um sistema corporal, percebendo seus processos e estados mentais e expressivos.
OBJETIVOS
Identificar e diferenciar qualidades de movimentos provenientes dos sistemas corporais; mapear alguns caminhos ou canais de emoção; relacionar estados corporais à criação de personas, figuras e cenas; aumentar a escuta interna do corpo.




Oficina de Histórias e Sons
Ministrantes: Isis Madi e Renato Garcia

Através do universo da contação de histórias trabalharemos a construção de instrumentos musicais confeccionados a partir da reutilização de garrafas pets, cilindros de papel, entre outros materiais recicláveis. Estes instrumentos farão a trilha sonora ao vivo das histórias que contadores e participantes contarão juntos, proporcionando a pais e filhos momentos de partilha, enquanto criam histórias e sons.
OBJETIVOS
Estimular a criatividade e a imaginação; Confeccionar instrumentos musicais a partir de materiais recicláveis, como: garrafas pets, cilindros de papelão, embalagens de iogurte, entre outros; Desenvolver habilidades manuais através da confecção de instrumentos; Desenvolver o sentido do ritmo, através de jogos e vivências; Cultivar o fazer musical criativo e artístico; Conscientizar e estimular a reutilização de materiais.